Desenvolvido pela Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE), o monitoramento da despesa de pessoal nas secretarias e órgãos do Governo de Pernambuco passou a ser automatizado. Resultado do trabalho conjunto das diretorias de Auditoria (DAUD) e de Tecnologia da Informação do Controle Interno (DTCI) da SCGE, a iniciativa permitiu que as trilhas – como são chamadas essas ações de auditoria – sejam geradas de forma automática e sistemática, sem a necessidade de intervenção humana.

“Essa automatização é um grande avanço para a Controladoria e para a administração estadual. Com ela, ganhamos agilidade, confiabilidade, melhor uso dos nossos recursos e tempo para gerar e atuar em novas trilhas. Isso se reverte, cada vez mais, em economia para o Estado, que pode destinar esses recursos para outras áreas prioritárias da gestão do governador Paulo Câmara”, destaca a secretária da SCGE, Érika Lacet.

Ela lembra que, em balanço divulgado no início do ano, nas 11 trilhas estudadas manualmente, num período de sete meses – de maio a dezembro de 2019 – foi registrada uma economia potencial de, aproximadamente, R$ 5 milhões para os cofres públicos; além de uma economia efetiva de mais de R$ 2,5 milhões.

De acordo com o diretor da DAUD, Flávio Pereira, e Iliana Resende, coordenadora de Auditoria de Pessoal, um novo relatório será apresentado no final do ano e que, com a ajuda desta tecnologia implementada pela SCGE, é provável que esses valores sejam ainda mais altos. “Realizamos esse trabalho de auditoria na folha de pessoal do Poder Executivo Estadual, mensalmente. Dessa forma, torna-se possível identificar indícios de ilicitudes, como duplo cônjuge, dependente de 22 a 25 anos, servidor acima de 75 anos e outras ilegalidades”, explicam.

CONTROLE – No processo automatizado, ao serem constatadas prováveis irregularidades, todos os dados são encaminhados diretamente aos órgãos de origem do servidor, que conseguem adotar todas as providências com a agilidade necessária. “Além disso, por meios dos painéis criados pela nossa equipe, a DAUD acompanha o resultado e o retorno dessas evidências. Isso, consequentemente, promove um maior controle do gasto público”, frisa a diretora da DTCI, Raquel Nunes.

Compartilhe: